Fale connosco
English

Transferência de conhecimento e tecnologia mobiliza indústria para uma maior ecoeficiência dos processos térmicos

01 abril 2021

Foram mais de três anos de projeto, durante os quais o INEGI se dedicou à transferência de conhecimento e tecnologias para promover a ecoeficiência dos processos térmicos industriais. O projeto EcotermIP chega agora ao fim, tendo deixado a sua marca na indústria, na forma de um caminho traçado rumo à sustentabilidade energética.

O objetivo principal, e agora cumprido, era promover boas práticas e metodologias de otimização e racionalização da utilização de energia térmica nos processos industriais, de geração de energia térmica via fontes de energias renováveis (nomeadamente solar térmico e biomassa), e demonstrar a aplicabilidade de tecnologias inovadoras de recuperação de calor.

Ao longo do projeto, realizaram-se 10 eventos - entre workshops, roadshows temáticos, e webinars - que atraíram mais de 750 participantes. Do projeto resultou também a criação do EcoTermoLab, um showroom localizado em Grijó, com vários sistemas demonstradores de tecnologias energéticas.

Diagnóstico energético revelou oportunidades de melhoria nos processos térmicos

Os principais alvos destas ações foram profissionais dos setores da metalomecânica, cerâmica, agroalimentar de laticínios e de fabricação de produtos à base de carne, pelo peso considerável que estas indústrias têm na indústria portuguesa.

A primeira fase do projeto assentou na caracterização socioeconómica destes setores, a par de diagnósticos energéticos aos processos produtivos e equipamentos atualmente empregues em cerca de 20 empresas representativas.

Do diagnóstico resultou a elaboração de documentos de referência setoriais e guias metodológicos, e revelou oportunidades de melhoria, nomeadamente ao nível da "recuperação e aproveitamento de calor residual e integração de energias renováveis, para fornecimento de calor aos processos produtivos, com uma clara diminuição  dos gases com efeito de estufa e, em simultâneo, uma redução de custos operacionais e melhoraria da eficiência dos processos”, conta Ana Magalhães, responsável pelo projeto no INEGI.

Transferência de conhecimento e tecnologia vai "traduzir-se em mudanças reais”

Para incentivar a implementação de mudanças e a criação de maior valor nos processos produtivos e produtos dos setores visados, a equipa do Instituto apostou em ações de transferência de conhecimento, partilha de experiências e atividades de networking, abordando também, mecanismos e oportunidades de financiamento.

"A participação por parte das empresas envolvidas foi muito positiva, e acreditamos que se irá traduzir em mudanças reais, resultando num impacto económico e ambiental positivo”, concluí Ana Magalhães.

Também David Rodrigues, da AIMMAP, salienta que "sendo a eficiência energética um fator crítico para a competitividade e sustentabilidade do setor metalúrgico e metalomecânico, este projeto permitiu, de uma forma extremamente positiva, efetuar a transferência de conhecimento para as empresas do setor, no que concerne às boas práticas e metodologias de promoção da ecoeficiência dos processos térmicos industriais".

O evento de encerramento do projeto decorreu no passado dia 30 de março, online, e juntou a equipa do projeto e stakeholders dos setores industriais visados.

O projeto "EcotermIP - Promoção da Utilização Racional da Energia Térmica e Integração de Tecnologias com Base em Energias Renováveis na Indústria Portuguesa”, liderado pelo INEGI, com a parceria do Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ), é cofinanciado pela União Europeia através COMPETE 2020 (Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização), no âmbito do Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico.